Alguns artigos foram traduzidos como uma oferenda aos brasileiros, porque só existem em livros em inglês. Se você lê em inglês você deveria comprar o livro em inglês. Os outros artigos são de autoria de Randy Rasmusson.


Chitta Nadi, Mente ou Canal da Consciência

Chitta Nadi, Mente ou Canal de Consciência A mente tem seu próprio canal de ligação denominada “Chitta Nadi” ou canal de consciênciosidade. A ayurveda refere-se a esta parte física como Manovaha Shrotas, o canal que carrega o pensamento.
 
Todos nós já experenciamos o fluxo da mente, o fluxo do pensamento ou o “vapor” da consciência. Este fluxo ocorre através da Chitta Nadi.
 
O Chitta Nadi origina-se no coração espiritual, o lado da reencarnação da alma ou da individualidade, Jivatman.
 
No coração está nossa com o criador através da qual Chitta Nadi obtém energia. O centro impulsiona o desenvolvimento desde nossa mente mais profunda ou do coração, nosso Samskaras proporcionando movimento através deste Nadi. Chitta Nadi é o fluxo de nosso Samskaras do coração para o mundo exterior. Move-se para cima através da garganta, através da qual nos expressamos, daí para a cabeça onde se conecta com os sentidos dos objetos externos. Então este fluxo desce pela parte traseira da cabeça por trás da garganta e voltando ao coração.
 
Este é o ciclo de fluxo do Chitta Nadi. Primeiro ele tem um movimento no sentido do externo que é do coração para a cabeça através dos sentidos.
 
Então ocorre um movimento no sentido contrário, do externo para o mundo interno (psíquico) que é da cabeça para o coração.
 
O fluxo externo do Chitta Nadi promove um aumento na mente, nas emoções e na satisfação, que Samkhya chama o campo de manas e o corpo sutil, o fluxo interno de Chitta Nadi aumenta a percepção da mente interior e da intuição que Samkhya denomina inteligência interior ou budhi. O fluxo externo segue o movimento das forças de repulso do cosmos ou ignorância. O fluxo interno reflete o movimento da atração divina.
 
O fluxo externo do Chitta Nadi cria no corpo físico um estado desperto, que é dominado pela atividade sensorial da cabeça. O fluxo interno nos conduz até nossa consciência e cria um estado de sonho e sono profundo. Os sonhos ocorrem na região da garganta.
 
O sono profundo ocorre na origem do coração.
 
Os Dois Fluxos do Canal Mental
 
Na morte, o Chitta Nadi flui para o interior como no sono, levando ao plano astral, experiências dos sonhos dos mundos do céu e inferno. A experiência de um túnel, relatado comumente por pessoas que estiveram próximas da morte nos mostra o funcionamento deste Nadi. Na mente do humano comum, o fluxo através do Chitta Nadi é restrito e quebrado. Nossas mentes são distraídas e fragmentadas, movendo-se em várias direções. Ai nunca fica qualquer consciência do fluxo através do canal da mente que é experenciada como nossa própria identidade. O fluxo dominante do pensamento através do Chitta Nadi é “Eu penso”. A identificação do self indicada com o corpo, gera três fluxos externos com o Chitta Nadi. O reconhecimento da individualidade como consciência pura, gera um fluxo interno.
 
Cabeça Identidade (ego), Ahankara Eu tenho a idéia do corpo Prama diversificado
Fluxo Externo (p/fora) Manas Mente Material Sensações Fluxo interno( /dentro) Budico Interior Inteligência Conhecimento
Coração (Chitta) Individualidade, Alma (Jivatman) Mente Superior(campo Samskarico) Prana Original
 
O ego (ahankara) é o fator que restringe o fluxo através de Chitta Nadi. É o movimento negativo de Prama na mente enquanto, a alma ou individualidade é o movimento positivo do Prama através da mente.
 
Ego é a manifestação desarranjos, desejos animais (apana na mente) enquanto a alma (individualidade) reflete o Prana do amor incondicional. Quando um Chitta Nadi é bloqueado por um pensamento de separação da individualidade, nos somos apanhados por um outro campo mental, o externo, das emoções e sensações.
 
A medida que expandimos nossa individualidade saindo do personal para o universal, o fluxo de Chitta Nadi aumenta. Quando este fluxo corre livremente, completa um circuito e retorna ao coração. Na prática de meditação, podemos experiênciar isto rapidamente, sentindo a consistência deste fluxo através de Chitta Naddi. A medida que o fluxo torna-se completamente liberado, nos remete de volta ao oceano da inconsciência que habita nosso interno; O livre fluir torna-se silêncio e completude...
 
O ego é causador de várias toxinas, matérias pesadas impuras (malas) que se acumulam no Chitta Nadi inibindo o fluxo adequado. Estas toxinas derivam de alimentação má digerida, impressão e associações, dieta anormal, abusivo uso dos sentidos e relacionamentos errados.
 
Conseqüentemente, o fluxo através de Chitta Nadi será afetado pelas condições do corpo físico, do prana e da mente. Chitta Nadi está conectado a todos os canais dos corpos físicos e sutis.
 
A este respeito, a yoga fala de “nós”no coração (hidaya-granthi) que devem ser ligados pela liberação ou iluminação que ocorra.
 
Estes nós são constritivos no fluxo de Chitta, bloqueado no fluxo de Vayu ou prana no espaço mental. Nossas Samskaras, desejos mais profundos ou impulsos, inibem o fluxo energético da individualidade através de Chitta Nadi e se projetam na materialidade como varias facetas de ego limitadores. Abrindo o coração espiritual é o mesmo que abrir Chitta Nadi.
 
Juntamente com Chitta Nadi, ocorre uma abertura periférica sutil, trazendo uma experiência de Bem-aventurança ao corpo físico.
 
A vibração da mente (Chitta-spanda) é o fluxo da mente (Chitta Nadi). Na realidade, a mente não é diferente do fluxo. Quando a mente entra em estado de calma e silêncio o fluxo do canal mental também se tornar calmo, mergulhando no espaço, expandindo este espaço, se tornando o espaço.
 
Chitta Nadi e outros Canais
 
Chitta Nadi é o canal do corpo causal, o campo mental mais profundo de onde o coração interno faz crescer o prana da alma que é a base de toda vida. O Chitta Nadi, portanto é o fluxo prânico original bem como mental. O movimento da mente(Chitta-spanda) está sempre refletido no movimento do prana (prana-spanda). Como Chitta Nadi, governa todos os canais em funcionamento.
 
Está mais intimamente relacionado a Sushuma, o canal que governa o corpo sutil e a Kundalini, o poder serpentino que desperta o fluxo energético através de Sushumna. O livre fluir através de Chitta Nadi determina que Kundalini tenha um bom fluxo através de Sushumna.
 
Chitta Nadi está relacionada às regiões superiores de Sushumna, do coração a cabeça. Governa não somente o fluxo do pensamento, mas o fluxo de prana daí originário. Sushumna, como o Nadi prânico mais elevado, esta intimamente conectada com Chitta Nadi ou canal da mente quando este fluxo é despertado. Quando Chitta Nadi flui para o externo, a Kundalini permanece adormecida. Quando Chitta Nadi flui para o interno, então esta força é despertada e começa a se mover.
 
O fluxo para o interior leva a purificação e energização de todos os outros Nadis, abrindo chakras e potencializando-os. Entretanto, nem todos yogis conseguem experiênciar esta abertura de chakras bem como sua energização.
 
Alguns podem direcionar-se diretamente para o coração e não propiciar a estes outros possibilidades de experiências no interno. O fluxo de Chitta Nadi está no desejo. O desejo impulsiona o fluxo para o externo (material). O desapego permite a este fluir no sentido contrário (para o interno).
 
Como o desejo sexual é o mais forte, ele se torna o mais poderoso impulsionador deste canal. Se Chitta Nadi fluir para o externo, perderemos toda energia porém, para o interno(quando praticamos a castidade) esta energia causa grandes transformações positivas.
 
Em termos, as prática yogis, como pratyahara (controle dos sentidos), trabalham para inibir o fluxo de Chitta Nadi para o externo, desenvolvendo formas de potencializar este fluxo no interno. Dhãrana é a concentração de energia conseguida pela atenção direcionada. A meditação ocorre quando a energia fluir continuamente através do Chitta Nadi. Samadhi ocorre quando este fluxo não encontra obstruções. Talvez, o melhor método seja a corrente de pensamento até a origem, pensar a individualidade no coração, o divino “Eu sou o que eu sou” que é a essência do conhecimento da yoga.
 
Outra maneira é trabalhar Deus em nosso coração em forma de apelos. Mantras ou qualquer coisa que crie uma vibração constante de elevação ajuda a abrir Chitta Nadi e, tudo que expande nosso nível de consciência também causará um fluxo de energia similar mais livre, em outras palavras, toda yoga, particularmente suas praticas mais elevadas que ajudam a desbloquear o Chitta Nadi.
 
De todos os Doshas, Chitta Nadi esta mais intimamente ligado a Vata, devido a conecção deste com prana e com a mente. Vata, Prana e Mente, movimentam-se juntos. A agravação de Vata,causa distúrbios sobre a Chitta Nadi, já Kapha, quando ligado a ele, pode causar bloqueios no fluxo e, Pitta, através da raiva ou similar, pode agitar o fluxo relativo às três essências vitais, aumentando o fluxo de prana através desses três canais. Tejas é o poder da luz. Ojas é a estabilidade do fluxo.


The Ayurvedic Institute of Brasil
Tel: 51 9836.1663

www.ayurveda-br.com 

randy@ayurveda-br.com



Caixa Postal 68
Taquara  RS
Brasil 95600-000
 Possam todos os seres se beneficiar!sitemeter